Tuesday, February 26, 2019

O desconforto da não-reação


Faz tempo que não escrevo por aqui, mas tem semanas que ando com vontade, então lá vamos nós pra mais um causo do Vadio Amor.

Acho peculiar a forma como "os bons costumes" nos influenciam. Chega a ser perverso. Abrimos mão de nossas vontades, de nossos desejos, de coisas que a gente nem sabe que gostaria pelo temor do que vão pensar de nós.

Tudo invenção humana...



Mas o intrigante mesmo é quando alguma coisa sai da curva. A reação das pessoas é sempre o máximo.

A muito muito tempo atrás, numa galáxia muito distante, eu namorava um mocinho super gentil que me adorava e que me tratava como a coisa mais importante da vida dele e eu, é claro, troquei ele por um cafajeste, porque era nisso que eu era boa naquela época. Mas a história não foi nada simples e eu preciso contextualizar um pouco mais.

Éramos uma galera e trabalhávamos todos juntos. Era uma época de exageros e loucuras, sem muita reflexão sobre conseqüências. Éramos todos jovens e estávamos aproveitando nossas vidas de relativo sucesso.

Todos os dias, saíamos do trabalho, tarde da noite, e íamos todos beber juntos. Era uma delícia... até onde eu consigo me lembrar e fizemos muito, muito mesmo disso, muito mais do que talvez fosse o aconselhável e muito menos do que talvez fosse o honesto com nossos desejos e então, eu arrumei esse namorado.

Ele não se encaixava nesse grupo, por isso freqüentou as noitadas pouquíssimas vezes, mas tinha outra pessoa que freqüentava, e que não estava nem um pouco bem intencionado não só comigo mas com qualquer das possíveis "presas" do grupo.

Eventualmente, o predador abocanhou uma das presas, muito amiga minha, depois de eu já ter engatinhado pra casa (acho... ou foi numa noite que eu não apareci... quem se lembra?) e fotos semi-comprometedoras foram tiradas nessa noite.

O tempo passou e eu acabei sendo abatida também, terminei o namoro com o menino bonzinho e entrei num relacionamento com o predador.

Mas o foco do post não é esse... é o que aconteceu num determinado dia, no trabalho, quando estávamos todos tomando um café, recordando algumas das noitadas, rindo e... vendo fotos.

A essa altura todo mundo já sabia que existia um relacionamento sério entre eu a criatura, então, quando uma das fotos semi-comprometedoras surgiu, da minha amiga quase sentada no colo dele, todo mundo se constrangeu por eu ver aquilo.

Mal sabiam eles que ela já tinha me contado do fato há muito tempo e que eu dei zero importância pra isso. O interessante foi ver as reações da galera quando eu comentei a foto e todo mundo percebeu que eu já sabia que aquilo tinha acontecido e que estava tudo absolutamente normal.

O grupo todo era "vida-loka" naquela época, mas não teve um ser que não se sentiu desconfortável com tamanha "modernidade". O que será que rolou? A criação falou mais alto e todo mundo desenterrou os "bons costumes" de repente? Era cedo demais (alguma coisa entre 2004 e 2006) pra um comportamento desses? Claramente, todo mundo esperava que eu tivesse um clássico chilique e fosse tirar satisfação com um, outro ou ambos e quando teve esse nada de reação, todo mundo super estranhou.

Ninguém ali era santo, e se um escândalo rolasse com eles eu tenho certeza que nenhum deles iria gostar, mas quando é com os outros... era possível ler nas expressões das pessoas um "como você vai deixar isso quieto?". Foi engraçado demais.

O que acontece depois é história triste e não convém a este post, o importante é que o predador virou história e a amizade com a garota continua firme, sólida e feliz. Quanto ao resto da galera, não sei dizer se a moral e os bons costumes falaram mais alto e viraram "gente decente" ou se continuam se comportando mal às escondidas, que é o aceitável pelas pessoas, mas faz pensar, né? Como será que esse povo anda criando os filhos? Como eu criaria filhos?

Ram...

*Imagem por: John Lund

0 comentários:

Post a Comment