Friday, November 3, 2017

Ah, os cheiros e os sabores...

Eu já escrevi sobre como gosto de experimentar pessoas no post “Vários amores, várias memórias”, mas tem coisa que é tão gostoso escrever sobre que o tema não cansa.



Cada vez que termino um relacionamento complicado caio no mundo. Em alguns momentos isso é meio perigoso e chega a beirar o auto-destrutivo, mas traz tantas coisas legais que é impossível não se deixar levar e aproveitar cada momento e cada experiência!

E cada temporada dessas é uma pegada diferente. Eu descubro coisas diferentes sobre mim e descubro coisas e pessoas que me encantam e me marcam profundamente.

Nessa temporada eu descobri o quanto eu gosto de ficar conversando na cama, sem roupa. Claro que não supera o prazer que eu sinto quando eu to de quatro e a pessoa debruça em cima de mim e fala ou geme pertinho do meu ouvido, mas o prazer de ficar sem roupa, deitados na cama, conversando é simplesmente mágico!

A única coisa que não mudou é a minha resistência em deixar pessoas passarem a noite comigo. Fora isso, descobri um monte de coisas novas que gosto. O cheiro das pessoas que fica na minha cama e no meu corpo, por exemplo. Eu sempre gostei de cheiro de homem no meu corpo ou nas minhas roupas, mas nunca achei que o cheiro deles na minha cama seria tão hipnotizante. Isso me faz permanecer com tesão durante muito tempo ainda depois que eles vão embora, relembrando das cenas e repassando todas elas, de olhos fechados, enquanto me toco. É uma delícia!

Esse novo padrão é super bacana por vários motivos, mas principalmente porque não saio por aí transando com qualquer cara de aplicativo da vida. Tem que rolar uma afinidade pra conversa poder acontecer depois ou antes ou entre o sexo. Então eu to numa fase de amigos coloridos no sentido mais genuíno da expressão. Tem que ter afinidade antes de ter sexo. Acho que isso já me protege de um punhado de malucos e contrabandistas de rins por aí. Hahaha

Ou não... mas se o papo for bom, pode levar meu rim... dos dois estão zuados mesmo, então.... boa sorte na venda. Hahaha
Tenho que creditar meu ex-namorado também pela descoberta dessa minha nova preferência e tenho que assumir que, mesmo que a mágica aconteça com outras pessoas também, nunca vai ser como foi com ele. É duro dizer, mas meu compromisso com a verdade me obriga: tem noites que preciso muito me segurar pra não mandar uma mensagem pra ele pedindo pra vir ficar pelado conversando comigo à meia luz do meu quarto. (às vezes não resisto, e também não me envergonho disso)

Longe de mim querer dar conselhos pra qualquer pessoa. Eu não sei absolutamente nada sobre a vida pra querer dar conselhos, mesmo com quase 40 anos. Mas se alguém me perguntasse eu diria que o melhor da vida é experimentar, que essa coisa de monogamia é uma grande bobagem e que todo espírito tem que ser livre. Só assim conseguimos ter a alma leve e o coração aquecido o tempo todo em vez de endurecido. Sério, decepções amorosas só causam dor e eu também já escrevi sobre isso, eu acho (to um pouco embriagada nesse exato momento).

Agora eu vou deixar o álcool tomar conta da minha corrente sanguínea e da minha mente, convidar meu ex pra passar umas horinhas conversando comigo e deixar vocês pensando sobre tudo o que eu escrevi ou achando que só tô bêbada e louca. Hahaha

Beijos pra todo mundo! Na boca! Porque é assim que a gente sente a química.

1 comentários:

Alex B said...

Brilhante, maravilhoso, iluminador. Isso é ser uma mulher de verdade! Beijos do amigo.

Post a Comment