Wednesday, May 14, 2014

Uma porção de amor caprichado?

Meus melhores pensamentos sobre o amor estão relacionados a algo gastronômico e ontem aconteceu mais um caso destes.

Faz dias que um assunto tem martelado a minha cabeça, tudo começou quando do nada resolvi analisar se o tipo de amor que dispensava para os meus cachorros era o tipo ideal e na quantidade necessária, porque os dois tem personalidades muito diferentes e meu conflito era se alimentava a carência de cada um ou tentava "reverter" isto.

A minha história em relação aos meus cachorros é um pouco complexa e um dia pretendo escrever sobre isto... O que importa é que diante desta dúvida sobre que tipo e intensidade de amor eu deveria dar para os cachorros me vi também pensando sobre isto em relação as pessoas. Será que eu dou a dose e tipo certo de amor para as pessoas?

Ontem sai para comer e me encantei por um milkshake de Leite Ninho com Ovomaltine que encontrei no cardápio, pedi o danadinho e quando o garçom voltou com o pedido fui surpreendida com 3 copos de milkshake, nem preciso dizer a cara de espanto que fiz, na minha cabeça pipocava a defesa: ele marcou o pedido errado e eu não vou me responsabilizar por estes dois que vieram a mais, isto que dá este povo que quer ficar brincando e não presta atenção no pedido, ele deve ter deduzido que era um para cada e blábláblá.

Só que fui surpreendida com um: Mandei caprichar! (seguido de um sorriso)

Ele não caprichou só no milkshake, ele caprichou nos lanches, no atendimento, no brinde da saída, em tudo! E foi demais, não no bom sentido, foi muita coisa, claro que não consegui beber os 3 copos de milkshake, claro que nenhum de nós conseguiu comer até o fim os seus lanches. Estava tudo muito gostoso, mas... eu não pedi para caprichar.

Eu só queria o bom e velho copo de milkshake que te deixa com gostinho de quero mais, o lanche que sacia e te deixa na dúvida se deve ou não pedir outra coisa para complementar, sei que a intenção dele foi boa, na verdade foi ótima, mas no final me causou culpa, porque desperdicei um monte de comida e confesso: só voltarei lá quando estiver morta de fome, o que raramente acontece, porque como pouco mesmo quando estou com fome, me sacio fácil.

Por outro lado sempre peço o milkshake de Oreo de um outro lugar, sempre vem menos do que eu esperava que viria, mas me deixa com o gostinho de quero mais, então sempre volto a pedir.

Acabei pensando que o amor é assim, às vezes você capricha, mas o outro não pediu, ele não quer ser sufocado com um monte de milkshake e lanches caprichados, ele quer só o padrão, quer a escolha de pedir mais e não de ter que desperdiçar. Vejo muitas pessoas, inclusive eu, falando: ninguém vai fazer por ele(a) o que eu fiz, ninguém vai gostar dele(a) como eu gostei e etc. Será mesmo que a outra pessoa pediu/queria este amor caprichado que você (acha que) deu?

Me diz: você tem oferecido doses caprichadas demais de amor?

2 comentários:

Maria Carolina said...

Nossa, vi muito de mim nesse texto haha
parei pra pensar e vi que sou do tipo de pessoa que gosta dessa coisa do "quero mais". Tive 2 relacionamentos sérios e dei fim aos dois por me sentir amada demais, e amar de menos. Não sei se o problema era comigo, por não estar apaixonada o suficiente, ou seja lá o que for.. Mas, após o término do último, conheci outro alguém. Alguém que nitidamente não precisava de mim, alguém que não me sufocava, e sempre me deixava com esse "gostinho de quero mais", então eu acabei me apaixonando, o que me faz pensar que tem alguma coisa errada comigo hahaha e, se não tem, chego a conclusão de que o ser humano é realmente muito contraditório, nunca liga pro que tem, e sempre quer o que não pode ter.

http://damnmaria.blogspot.com.br/

Liana Carmo said...

É verdade Maria Carolina!rs
Um dia acabaremos com as contradições, pelo menos eu espero...rs

Post a Comment